O que é Tantra e aquilo que nunca te falaram sobre ele

A palavra “Tantra” pode significar…

  • “Método”
  • “Técnica”
  • “Rede”
  • “Teia”
  • “Tecido”
  • “Regra Geral”
  • “Forma adequada”
  • “Prosperidade”
  • “Riqueza”
  • “Cordas [de um instrumento musical]

Esses significados foram retirados de dicionários de Sânscrito [faça o teste – digite qualquer termo no dicionário] e também da definição que o Osho dá no Livro dos Segredos. Isto é, no qual ele comenta o Vighyan [ou Vijñana] Bhairav Tantra, que em tradução livre significa “Técnica para ir Além da Consciência”

O que o Yoga tem a ver com o Tantra?

Todas as vezes em que você encontrar palavras terminadas em “a”, no sânscrito, são masculinas. Assim sendo, “Shiva”, que foi o autor do Vighyan Bhairav Tantra, deixou 112 técnicas [ou métodos] de meditação. O fato é que Patañjali escreveu um livro chamado “Yoga Sutra”, mais de 3000 anos depois de Shiva, com a descrição das trilhas do Yoga. Portanto, ao organizar algumas técnicas que vinham sendo praticadas na época, Patañjali formaliza o início da tradição do Yoga (em certo sentido, filho tântrico).

Portanto, poderíamos chamar o Vighyan Bhairav Tantra de “Sutras de Shiva”, porque se você conhecer a natureza das técnicas, conhecerá a si mesmo – e irá para além da consciência. Shiva descreve as técnicas sem colocar um “sistema”. No Tantra de Shiva, as técnicas que se sucedem podem ser utilizadas por mentes com naturezas diferentes.

Yoga e Religião possuem uma mesma raiz etimológica: “yuj” e [“religare” que vem de “ligio” que vem de “yuj”]

3 linhas + com 7 escolas principais

Com base nos “Tantras”, que são as escrituras que descrevem as práticas e rituais de Tantra, presentes nos Shastras Hindus, foram desenvolvidas 3 linhas e 7 escolas de Tantra.

Adwaita ou Não-Dualidade é o que todas as escolas de Tantra têm em comum

Em primeiro lugar, Dwaita é um termo em sânscrito que significa “dual” ou “dualidade”. Por consequencia, Adwaita é um termo que significa “não dual” ou “não dualidade”. Da mesma forma, para a linha das religiões abrahamicas, monoteístas, isso é conhecido como quando “Deus” diz a Adão e Eva para não comerem do fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal.

Entretanto, alguns interpretam de forma equivocada que Deus estava falando apenas da árvore do conhecimento. Analogamente param por aí. Então não é apenas “conhecimento”, mas sim o “conhecimento da dualidade [ bem e mal ]”. Alguns se referem à dualidade também como manifestação de Maia [ilusão] 

A tendência natural de todos os sistemas [ religiosos ou filosóficos ] é terem bases tântricas. Em algum momento, esses sistemas deturpam a verdade universal: o não dual. É aí que os conflitos surgem.

Muitas vezes, as escolas tântricas vão ensinar conceitos opostos, e o novato dentro do Tantra pode estranhar. Por exemplo, um dos temas mais polêmicos do Tantra: sexualidade. Há escolas de Tantra que professam a retenção ejaculatória. Outras escolas de Tantra professam o exercício ejaculatório. Isso será determinado pelas tradições a que se seguiram o Tantra.

As diferenças entre as linhas de Tantra

As diferenças se dão no comportamento

Assim sendo, algumas pessoas vão te falar que o importante é de fato o comportamento. Porque a partir do momento em que você começa a aplicar uma técnica ou um método de expansão da consciência, a composição do corpo muda. Portanto, seu comportamento invariavelmente mudará.

A seguir estão os comportamentos que diferenciam e norteiam as linhas de Tantra

  • Consumo (ou não) de carnes
  • Consumo (ou não) de drogas (álcool, tabaco, etc.)
  • Forma com que se exerce a sexualidade

Tantra e Massagem Tântrica

massagem tântrica

 

A massagem tântrica utiliza algumas das técnicas conhecidas para gerar efeitos de normalização da pessoa. Como um iceberg, em que 90% fica sob a superfície da água, mais de 90% das técnicas tem efeito da pele para dentro. 10% aparece no comportamento e aparência. Dessa forma, a proposta tântrica sempre foi ir além. De acordo com o título do livro de sutras de Shiva: além da consciência.
Igualmente, expansão e estado de presença a partir de um sentimento de amorosidade. Eventualmente, muitos de nós vivenciam seja estados de depressão, de ansiedade, seja questões com relação à própria sexualidade. Nesse sentido, ao longo do tempo, percebeu-se que as técnicas do Tantra possuem efeito terapêutico em pessoas que estão aquém da normalidade ou mesmo descontentes consigo mesmas. 

FAQ - Perguntas Frequentes

No Tantra a gente aprende sobre “Kundaliní” que é uma energia que se manifesta sexualmente: com o despertamento da Kundaliní ocorrem fenômenos fisiológicos no corpo, e com isso, estados expandidos de consciência. As técnicas do Tantra são técnicas para o corpo e para a mente: a questão é que nosso corpo é sexual, então a energia de vida que se trabalha para meditar é a mesma energia que vai provocar aumento da libido e da vontade de viver cada segundo do aqui e agora.

Das Técnicas do Tantra, cerca de 5% são técnicas sexuais, e outras tantas impactam a Kundaliní (ou seja, a libido). São técnicas que mexem com a sensibilidade corporal, o que faz com que você sinta e perceba nuances multi-dimensionais da existência.

Para todas as espécies sexuadas do planeta, o sexo tem a função de reprodução (sobrevivência da espécie) e ocorre somente quando a fêmea está no período fértil. A ciência já descobriu duas outras espécies no planeta, além do ser humano, que fazem sexo por prazer: os macacos bonobos e alguns golfinhos.

Agora, para a filosofia tântrica, o sexo tem 3 funções: reprodução, prazer e desenvolvimento pessoal (ou espiritual, dependendo se o praticante tiver uma ótica espiritualista).

Existem rituais e práticas de maithuna (sexo tântrico, termo em sânscrito); elas envolvem práticas corporais de yoga, alimentação selecionada e práticas de meditação em dupla. O desenvolvimento do praticante dentro do Tantra, vai promover um desenvolvimento natural rumo a uma prática sexual mais presente e mais ligada no aqui e agora.

Hoje em dia, o ser humano está desconectado do corpo e a mente está sofrendo com ansiedade e depressão  constantes. O Tantra possui ferramentas as quais ajudam o praticante a se desconectar de tudo aquilo que não importa. 

Por exemplo, o contato visual entre as pessoas se tornou comum (agora cientificamente comprovado com relação a um forte efeito sobre o nosso sistema mente-corpo). Hoje em dia as pessoas se olham, mas não enxergam através da alma. Através das técnicas de meditação tântrica, um outro patamar de contato visual ocorre, através do qual um estado de presença é promovido. É possível utilizar   respirações conectadas à medida que o tempo passe… isso traz uma sensação de harmonia e conexão.

No contexto do Attitude ! Tantra, ensina-se a teoria e as técnicas corporais do Tantra e do Yoga. As Técnicas que demandam intimidade são ensinadas para duplas de parceiros.

Pode haver práticas de toque… descobrir o que acontece quando você chegar e tocar a ponta dos dedos de um parceiro, com contato visual.

A massagem tântrica é uma modalidade de massagem que tem como objetivo ampliar a consciência sensorial e bioenergética do corpo; bem como distribuir e harmonizar as energias sexuais pelo corpo. A pessoa que passa pelo desenvolvimento sensorial tântrico vivencia uma vida mais intensa e prazerosa. Diferente de uma massagem convencional, que atinge músculos e tendões, a massagem tântrica é feita com toques mais sutis, que ajudam a canalizar a bio energia e ampliar a percepção de si mesmo.

Um dos fundamentos da massagem tântrica está no Sutra 10, das 112 meditações do Tantra Original. Essas 112 técnicas ou métodos que promovem a expansão da capacidade sensorial e a percepção de que nosso corpo físico está integrado a um fluxo bioenergético que se conecta com emoções e pensamentos, e portanto é capaz de influenciar a percepção de sentido existencial e promover uma reconexão [religare] com o si mesmo e com o universo.