sexo receita tantra

Qualquer coisa que você faça na sua vida pode ser vista como método ou como arte. Isso inclui também o sexo. Tantra significa técnica ou método, e dentro do universo tântrico tem até receita para fazer 21 dias de sexo. Surreal, né? E mesmo sendo assim, “tão” metódico, foi no universo do Tantra que encontrei a real arte e as sutilezas da energia sexual.

Poisé, sim, o Tantra gera um aprendizado sobre como levar a arte do sexo. Significa olhar para uma ou outra receita de sexo? Sim, a própria técnica da massagem tântrica pode ser considerada uma pequena receita! Afinal, não é segredo: um bom artista precisa trabalhar na técnica antes de ter acesso as artes sutis.

Então, por mais que possa soar estranho, não existe exclusão dentro do Tantra. Existem aspectos da energia sexual que nos fazem deparar com a forma como fazemos tal ato.

É por isso que as massagens tântricas fazem tanto sucesso: a arte de dar e ter prazer sem ter um lugar a se chegar leva quem pratica a um estado super meditativo. A receita trata do fluir das formas de lidar com o sexo, só que sem pretensões, sem “lugares” a se chegar.

A receita do Tantra é mudar o vetor de energia do sexo

Isso muda o padrão energético do ato sexual: o vetor de energia não flui para fora. Ao contrário, se o sexo tem receita, a ideia é o vetor voltado para dentro. E isso faz toda a diferença. Ou seja, significa ir para o Tantra arte, e se libertar de si e dos próprios condicionamentos.

Além disso, e muito provável que um aspecto super importante: as técnicas de toque sutil. Assim, o próprio processo sensorial leva a uma forma de ato sexual que nos pede presença, sem psicogenias.

As formas de lidar com determinadas manobras de massagem vão mudando com o tempo. Agora, se a energia do sexo é a mais potente que existe, você consegue imaginar a receita para o “ponto”de maestria da energia sexual? Aqui não se trata de ser “mestre” do sexo, mas o quanto essa energia impacta em todas as áreas da sua vida.

O processo é simples: você aprende uma técnica corporal, pratica essa técnica, mas busca no fim das contas se guiar pela intuição. Assim como aprender a tocar um instrumento musical: você chega um nível sensorial em que se torna capaz de “afinar de ouvido”.