Ir para conteúdo

Sexo é um tabu na sociedade, não deveria ser no Tantra

O primeiro efeito do primeiro curso de vivência de massagem tântrica, foi sobre o quanto o sexo representa um tabu na nossa sociedade. Dessa forma, sempre parece que fica uma nuvem densa quando alguém fala sobre sexo. Mesmo quando alguém fala pelo whatsapp sobre suas próprias questões de sexo. Parece que quando envolve Tantra, a pessoa não entendeu muito bem o sentido de ser da sessão de terapia.

Todos os sentidos ficam aflorados quando estimulamos a energia sexual. Agora, quando se trata de olhar como tabu, a energia do sexo acaba em estanque. Mas a real que me parece é que surge de fato um verdadeiro terror quando a questão é o sexo e a energia sexual. Só que quando se trata de Tantra, não tem como fugir das aulas de sexo. As pessoas sabem muito pouco sobre sua natureza sexual. E a energia sexual é uma dádiva! Quem desenvolve sua própria energia sexual, de forma plena, sem culpa, passa a entrar num fluxo existencial tão mais simples.

O que é puro ou impuro só faz aumentar o Tabu do sexo

Por isso, na vivência de massagem tântrica, o enfoque está no sentir. Ou seja, sem lugar a se chegar! Isso dá à pessoa a liberdade de gozar a vida, sem peso com relação a se chegar em qualquer “resultado” durante qualquer ato sexual. Outro dia, recebi o feedback de que foi muito importante estar em um curso que não leva o sexo para o teor místico, é uma das formas no sentido de diminuir o tabu. É muito comum dentro do Tantra dar de frente com um teor espiritual professado pelas pessoas. Não teria nenhuma questão com isso, se as pessoas não separassem o físico do espírito. Ora, se o corpo fosse impuro, o espírito — símbolo de tudo o que é “puro” — não teria razão alguma para se ligar ao corpo.

Assim, aprender o Tantra (técnica, método) é algo que envolve aprender algo sobre si mesmo. Mas treinar o desapego na hora da prática envolve confiar nos processos internos, na sabedoria de cada célula do próprio corpo. Quando tratamos de ficar, no sentido de permanecer, no sexo, mesmo que não seja em um curso ou vivência, ele começa a deixar de ser um tabu. A própria energia se expande de forma natural, sem anseios.

Deva Bebaak Ver tudo

Sempre gostei muito de estudar tudo relacionado ao Hinduísmo. Engraçado que tenho a sensação de que só de ouvir termos em sânscrito (língua antiga da região que hoje é a Índia) me sentia atraído para tal. Atualmente, Yogin e Tantrika, faço das atividades ligadas ao hinduísmo um estilo de vida.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: