Ir para conteúdo

Mundo dá voltas e o que o Tantra tem a ver com isso?

Um dos Sutras de Shiva diz: ‘Esta é a esfera da mudança’, e continua ‘Mudança consome mudança’. Que o mundo dá voltas é consenso, exceto para quem acredita na teoria da casca da tartaruga ou é terra planista. Mas esse conceito da mudança é interessante, porque dentro da psique humana, o ato de sofrer vem do apego. E a circularidade da vida tira o peso dos extremos duais, bem e mal.

O caminho tântrico traz a ideia de (des) prendimento e de naturalidade. São técnicas que utilizadas para favorecer a própria vida, de som, respiração e movimento. Envolvem a sensibilidade interna. Se isso é bom ou se isso é mau, são outros 500s. Mas o foco do Tantra é o aqui e agora, abstraindo por completo o conceito de karma, que para a ótica do Tantra é um conceito de estrutura para a dominação.

Certa vez em Terapia Tântrica, comentando sobre esse fato do Karma, uma cliente disse: “eu não consigo imaginar um deus condenando minha gatinha a qualquer inferno”. O que as pessoas com certa regularidade acreditam é que o mesmo deus que pouca importância dá ao bem estar pessoal estaria ali para criar castigos.

Céu e inferno do mundo real que dá voltas

Tanto o céu como o inferno são criações de estrutura de dominação. O Tantra é técnica de libertação, então é óbvio que olhará para esses conceitos como se fosse uma grande piada. Culpa, pecado, não existem. Isso significa abstrair do discernimento pessoal? Não! “Tudo é lícito, mas nem tudo me convém”

Por exemplo, alguém desavisado poderia alegar que o Tantra está okay com o uso de drogas, porque usá-las desperta o Sensorial. Só que linhas tradicionais de Tantra não promovem ingestão de drogas psico enteógenas. E mesmo na estrutura de religiosidade latino americana, era o pajé quem consumia tais substâncias, somente.

Não por pessoas que não estavam preparadas para isso, tal qual observamos ocorrer nos dias de hoje. Porém, ainda que a forma como esse estado chega, possa parecer sutil. Ela é bem real, porque as técnicas do Tantra giram em torno de todo o percebido. Mesmo que você seja um crítico de si mesmo.

O Tantra te ajuda a se libertar das próprias críticas, ele objetiva a mente e torna sutil e doce o sentir do coração. A busca é simples: pelo seu sentir. Como diz o Sutra: ‘mudança que consome a mudança’; não se combate a raiva com a temperança.

Deva Bebaak Ver tudo

Sempre gostei muito de estudar tudo relacionado ao Hinduísmo. Engraçado que tenho a sensação de que só de ouvir termos em sânscrito (língua antiga da região que hoje é a Índia) me sentia atraído para tal. Atualmente, Yogin e Tantrika, faço das atividades ligadas ao hinduísmo um estilo de vida.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: