Sexualidade

Sexo e Consciência: a vida natural em expansão

O brahmacharya — termo yogue para o celibato — torna-se uma luta contra a natureza. Se você não sentir fome, e se forçar a comer, isso também vai contra o natural. Quando não se sente tesão e continua no sexo, ou porque a outra pessoa precisa, ou porque a sociedade cobra, ou mesmo as duas coisas, você vai contra a consciência natural. Seja o que for que ela seja, sem nenhuma imposição de ego e ou (auto – ) repressão. A consciência é comum — e desnecessariamente você a proclama como sua. Nunca foi sua. Nesse sentido a terapia tântrica ajuda a aflorar consciências naturais diferenciadas.

Está sempre flutuando. Está em toda a sua volta. Torne-se mais poroso, mais permissivo, deixe-se levar profundamente — porque somente o todo pode entender o todo. Mas o todo pode fluir através da parte, se a parte permitir… isto é meditação; permitir que o todo flua; você desaparece completamente de cena… e então subitamente você se torna o todo. Mas por que é tão difícil ser natural? Somente uma dificuldade: se você for natural, não poderá ser alguém — não existe outra dificuldade. O sexo surge e você deixa que aconteça;

No Oriente — no passado, também no Ocidente — as pessoas lutavam contra o sexo, e isso vai contra a natureza e a consciência. Diziam que algo estava errado, que há algo errado no sexo — porque no sexo você se torna natural como um animal e todos os pregadores têm dito que você não deve ser como um animal. O que há de errado em ser animal? Olhe para os pássaros, olhe para os animais, vá às florestas e veja! A consciência é viva neles.

Sexo e consciência na vida natural

Não vá aos zoológicos, porque lá não há animais reais; eles estão corrompidos pelos seres humanos. Procure o selvagem. O que há de errado com ele? Parece tão belo, não há nada de errado em torno dele, mas todos os moralistas, todas as pessoas chamadas religiosas têm ensinado: “Não seja um animal!” E o seu ego sente que esse é um objetivo. Como se pode ser um animal? E o sexo o traz totalmente ao tino nato.

De toda forma, um monte de gente lutando de milhares — os sinais mudam, mas a luta permanece.. O Tantra diz para viver como um animal — com uma única diferença: consciência, seja no sexo ou em qualquer outro campo. E você só vai encontrar uma barreira pra isso: a dúvida. Só que se você confiar, tudo se volta ao natural, também de forma natural. Se você desconfiar da natureza, tudo é perturbado.

O Tantra diz para ser e estar desperto quando sua natureza interna ocorrer. E assim, permitir que ela floresça. E onde quer que ela te leve, está tudo bem. De qualquer forma, no final, a natureza vence, mesmo que se criem sistemas complexos de brahmacharya, a natureza tem intensão e força maior. Isso porque no final somente o todo pode ser bem sucedido. Por que então lutar desnecessariamente desde o princípio?

Deixe uma resposta