Tantra

Fogo congelado e o despertar da Kundaliní

Para uma energia fluida é muito simples aquecer o corpo. Quando uma chama arde, ela arde por causa do oxigênio. Se não há oxigênio, o fogo se apaga automaticamente, se torna congelado. Então, por meio da respiração, com esforço e consciência de um farto respirar, isso traz cada vez mais ar, e quando tem mais ar de pronto, mais fogo se dá dentro de si.

fogo congelado

A primeira coisa que um terapeuta tântrico deve saber sobre você é se você é uma pessoa orgástica ou não. Se for, se todo o seu ser vibra quando você faz amor, e o fenômeno da vibração é tão profundo que você não existe mais. Então você se torna apenas um fluxo, da cabeça aos pés a energia se move como uma correnteza: não existem em você blocos de gelo, tudo se dilui.

Depois de fazer amor, você dorme profundamente como uma criança, porque a energia circulou. Você brincou bastante, está cansado, mas esse cansaço é muito bom. Esse cansaço é relaxante, agora você pode relaxar — e o corpo sente-se vivo. Por isso há tanta atração pelo sexo — porque, na verdade, ele é o seu corpo tentando encontrar uma maneira de ser orgástico, de ser como um rio, de derreter.

Quando se está gelado, fica difícil entrar em relações. Isso porque, a pessoa fica fechada dentro de si mesma, cria uma prisão (ou cria muitas) — e nessa prisão não há caminho para o Samádhi. Isso significa que é preciso derreter-se. Assim, antes de alcança-lo, terá que se relacionar com outras pessoas do mundo. Porque quando isso se passa, — ou seja, quando se ama, quando se faz carinho — o seu corpo dilui, ele flui e derrete. Quando ele flui, um outro passo pode ser dado.

Os santos e a consciência do fogo congelado

É óbvio que sem ar não há fogo, ele se torna congelado. Quando quem pratica a meditação parada toma conta da meditação vivaz, acaba por reagir contra, normal. Essas pessoas investiram tempo demais em tornar-se plantas. Elas não amam, e pensam que são santas — estão simplesmente congeladas, sendo cubos de gelo. Não há nenhuma energia em suas vidas, mas elas pensam que estão desapegadas.

É óbvio que há um desapego quando você entra no sutil, mas esse desapego é totalmente diferente. E há um desapego que acontece quando você não está fluindo de forma alguma. Por isso as meditações ativas te são formas criar calor, mais calor até do que o próprio sexo pode dar. As meditações, em particular aquelas que são feitas aqui no Attitude! Tantra, visam criar fogo dentro de você.

Do mesmo jeito, alguém morto está desapegado. Ou seja, um homem morto é celibatário — um homem morto está completamente morto. Você pode estar desapegado como um homem morto; é o que acontece em todas os mosteiros do mundo inteiro. E você pode estar desapegado de uma maneira completamente diferente, de um modo qualitativo e diametralmente oposto. É quando você está tão vivo que o fogo atinge um ponto onde a água não flui para baixo, mas começa a fluir para cima.

Mais fogo precisa ser criado dentro de você, você tem de se tornar uma fornalha. Absorva mais oxigênio, esforce-se mais, permita que o corpo se movimente o máximo possível, trazendo energia, pulsando de energia. Ela existe — é só fazê-la pulsar. Viva como chama que arde de ambos os lados ao mesmo tempo. E um dia você notará que a energia sutil está mexendo, e que você se tornou uma chama.

Deixe uma resposta