Tantra

Agora em Agonia

A morte é o último e primeiro mistério da existência e você sabe… poucos falam sobre esse assunto. Essa série é baseada em uma coletânea de pesquisas feitas através dos últimos cinco milênios. Realmente, a vida que você conhece é usada para colocar um cortina de fumaça densa para esconder de você uma única verdade, o erro da Matrix, o agora em agonia. Antes de continuar, me permita dizer que a oportunidade que você tem nesse momento é dada a poucos.

No fundo, você sabe, sistema e anti-sistema se esforçam para esconder de você a verdade mortal. Assim, toda essa cultura moral é construída para desconsiderar essa estridente, porém simples “verdade“. Você é mortal e pouco a pouco se despede da existência, desconsolada.

Da mesma forma que os tigres desenvolveram técnicas para que sua caça não o perceba, e dessa forma, o processo todo passa despercebido, quase inconsciente. Isso porque você criou para si a armadilha da inconsciência a respeito disso, e uma hora a conta chega, ah… sempre chega. Não há necessidade alguma de fazer qualquer alarde a respeito desse fato. E talvez seja o não alarde a maior armadilha de consciência que a própria humanidade desenvolveu para si mesma.

Portanto não há necessidade de entrar em pânico, ainda não chegou o tempo da sua morte, esse tempo fica para mais tarde. Se me permitir dizer para simplesmente respirar um pouquinho, não adianta parar de respirar enquanto lê esse texto. Na realidade, o tempo que você fica assim, com a respiração travada, você está adiantando a morte da sua vida. Apenas se conscientize de sua respiração nesse instante, se conseguir. Se não, talvez seja melhor parar de ler esse texto por alguns instantes. De forma a parar de sentir essa de angústia dolorosa no peito.

Sentenças da agonia do agora paradoxal

Talvez não esteja muito claro pra você se conversar sobre ela vai “ajudar” de alguma forma. Não posso te dar nenhum conforto nesse momento. Você sente atração pelo abismo, pela escuridão. Duvida? O que você acha que é aquela sensação de vertigem quando olha de um alto andar de um prédio?

Nietzsche

Quem combate monstruosidades deve cuidar para que não se torne um monstro. E, se você olhar longamente para um abismo, o abismo também olha para dentro de você

Enquanto verdade franca, acredito que esse seja o menor dos impactos que você vai ler nessa série. E também não adianta ficar elaborando explicações racionais e científicas, nesse caso, elas acabam se tornando uma fuga. Atualmente, não existem verdades científicas sobre isso, e talvez nunca existam. Mas tende dizer qualquer verdade religiosa para alguém que está em luto. Nada do que disser vai servir. Ela é o que é. Porém, ela costuma tomar conta da existência de alguns seres humanos, muitos inclusive, de forma paradoxal.

Antes mesmo da pessoa nascer a sentença é dada, e não adianta entrar em desespero. Assim, ninguém vai te salvar de si, da sua própria existência limitada. Família e vizinhos ausentes talvez te ajudem a passar pelo processo, porque chega um momento que sua consciência estala, e a vibração dela vem com uma profunda aceitação. Você compreende que lutar torna tudo muito pior, talvez mais rápido.

Não acredita? Sem problemas, o veneno só é veneno em determinada dosagem. Tentar adivinhar o plano que a vida tem para você é irrisório. Mesmo porque, a vida é a maior das predadoras, e como eu te disse na primeira parte da série, vida e morte são codependentes. Assim, a única salvação do agora é ter consciência de que todo o seu ser está agonia.

Deixe uma resposta