Atribuições de um terapeuta tântrico

  1. Atuar com competência, responsabilidade e conduta amorosa, de acordo com as características pessoais inerentes à própria individualidade e levar em consideração a individualidade alheia tendo o respeito por base;
  2. Refletir e buscar várias formas de pensar e fazer a não-dualidade;
  3. Compreender a atividade enquanto campo permanente de laboratórios tântricos, reflexão e pesquisa do conhecimento e sabedoria milenar inerente ao Tantra, tomando iniciativas para o aprimoramento pessoal constante, sempre com a flexibilidade e a eficácia requeridas pela natureza do saber não-dual como também requeridas pelas características do contexto sociocultural e do mercado de trabalho.
  4. Tenha condições de orientar sua prática de acordo com referenciais práticas consistentes e de re-trabalhar a partir de sua experiência.
  5. Estabelecer e manter o diálogo interdisciplinar.
  6. Seja capaz de identificar no Tantra os diversos pressupostos epistemológicos das diversas orientações teóricas e das técnicas daí decorrentes.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: