Para vivenciar verdadeiramente o Tantra, você precisa entender sobre qualidade de vida

A ideia por trás do Tantra está na sua capacidade de desfrutar do melhor que a vida tem a oferecer — mas isso perde sentido se você não sabe de bate-pronto o que a vida tem a oferecer!

Aqui vão algumas dicas para você estudar a sua própria vida.

Primeiro, tente identificar quais são suas verdadeiras paixões em sua vida. As coisas que você realmente ama fazer e que você se sente motivado apenas de pensar nelas. Para ajudar nessa tarefa, aqui vai uma dica: imagine que você tem muito dinheiro e possui uma família fantástica e uma vida realmente muito feliz… Agora, com isso em mente, o que você se visualiza fazendo? Como todas as suas necessidades básicas já estão satisfeitas…Quaisquer que sejam suas respostas, por que você quer fazer essas coisas simplesmente pelo prazer de realizá-las, elas são a sua verdadeira paixão.

A segunda dica é você saber discernir entre as coisas que você precisa fazer porque através delas você chegará em um estado de qualidade de vida, coisas que por si só são fruto de um estado de vida com qualidade. Por exemplo, quando alguém quer se casar porque este ato trará uma conexão com outra pessoa: isto é um ato que faz com que se chegue a um estado de qualidade de vida.

Atividades fruto da qualidade, de outra forma, são coisas que você gosta de fazer pelo simples fato de fazer. Estas são as razões pelas quais é melhor fazer as coisas que você precisa fazer antes: Por exemplo, a sensação de conexão por si própria que motiva alguém a se casar. As atividades que são frutos da qualidade de vida normalmente se apresentam em três variações: a primeira é ter experiências, como caminhar ao lado da pessoa amada ou simplesmente acordar ao lado dessa pessoa todo dia pela manhã. A segunda é sentir o desenvolvimento ou crescimento, como por exemplo sentir que aprendeu algo com aquela experiência. Isso dá um sentido para a vivência e uma sensação de que valeu a pena. A terceira é aquela sensação de que se está contribuindo com o mundo: seja pela diferença do que aquela atividade gerou, ou mesmo pelo impacto que isso fez em si ou nas pessoas ao redor.

A terceira dica entrar na rotina: todo dia ao acordar é legal lembrar e discernir aquilo que é fruto da qualidade de vida do que é um meio de se atingir um estado de vida com qualidade. Isso é legal de fazer, porque nosso instinto nos faz prestar atenção demais nas atividades que nos levam a uma vida com qualidade, o que paradoxalmente gera uma vida sem qualidade. Quando você presta atenção e pensar sobre o que você vai fazer naquele dia quando está acordando ao mesmo tempo em que relaciona qual o papel do que se está fazendo dentro de um contexto mais amplo, você automaticamente aumenta a consciência sobre aquilo que se faz e o montante de energia que você gasta se dedicando atividades que não te geram tanta qualidade acaba por si só quebrando o ciclo vicioso.

Deixe uma resposta